CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Fernando Pellisoli
Sou o Poeta da Loucura da Pós-modernidade
Textos

AÇOITE


Arapucas sombrias
Porquanto entrevam rios...

Consórcio de duras malícias
Porquanto os silêncios perduram
Como aves de rapinas a sombrear cruz

Destino sincópico
Industrializando vendavais!

Indolências semi-analfabetas coagidas
Porquanto a quadrilha dos trilhos insaciados
Como manivelas do pânico a convencer manicômios:

Aprisionado na dor,
Porquanto o meu amor definha

Na desonra...



FERNANDO PELLISOLI
Enviado por FERNANDO PELLISOLI em 19/03/2012


Comentários