CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Fernando Pellisoli
Sou o Poeta da Loucura da Pós-modernidade
Textos

O PODER DA PACIÊNCIA


Quando estamos buscando a realização de algum sonho, ou quando estamos enfrentando alguma situação muito difícil em nossas vidas, não conseguiremos o êxito almejado se acaso não tivermos o influxo da paciência... A importância da paciência em nossas vidas é de um grau tão elevado, que é como se dependêssemos dela para sermos felizes: sim, para sermos relativamente felizes aqui no planeta Terra, temos que orar a Deus e sermos muito pacientes à espera de dias melhores – esperar por dias melhores é modo de dizer, pois se não fizermos a nossa parte, plantando as boas sementes; não colheremos os bons frutos desejados... Mas se plantarmos as sementes, sem nos importarmos de regá-las todos os dias, pacientemente, não obteremos as boas colheitas... E em todos os momentos da vida, sejam alegres ou tristes, precisamos ter a paciência como nossa companheira permanente, sob pena de não usufruirmos, amplamente, dos desígnios de Deus...
A paciência é um dom mediúnico doado por Deus para nos auxiliar nas nossas provações, nas nossas expiações e nas nossas missões terrenas... Sem a paciência, ficamos à mercê das ansiedades negativistas, que só nos colocam para baixo, deprimindo o nosso aparelho mental... Sem a paciência nos tornamos feras desequilibradas, indo contra até mesmo ao nosso Deus onipotente... Sem a paciência, perdemos as oportunidades de vencer os obstáculos, que nos impedem de sermos felizes... A paciência é a irmã gêmea da esperança, e por isso não nos deixa desistir jamais, no que tange às realizações dos nossos sonhos... Todos os empreendimentos humanos só são possíveis de realização, porque a paciência está administrando o desenrolar dos fatos... A semente de uma flor demora até virar um botão e, posteriormente, desabrochar a vida... Tudo é assim na nossa existência, temos que exercer a nossa paciência até o último dos nossos dias terrenos... A impaciência aterroriza os nossos sentimentos e nos conduz ao precipício das amarguras...
Todos os guerreiros da paz e do amor são munidos de uma paciência incomensurável, pois as transformações sociais desejadas por eles são sempre indolentes, e só são alcançadas depois de lutas intermináveis... Estamos aqui na Terra justamente para brindarmos a Deus com as nossas lutas diárias, em prol do progresso da nossa humanidade... E sem a virtude da paciência, é impossível a realização de nossos anseios humanísticos, e dos nossos anseios pessoais de felicidade terrena... A paciência nos permite sermos resignados diante de nossas adversidades, iluminando os nossos pensamentos na freqüência divina... Sem a paciência, somos marginalizados pela imprudência e pela pressa desvairada, que nos conduzem aos abismos lucíferos...
“Depois da tempestade vem à bonança”, já nos diz este velho ditado popular... Pois não é de se imaginar que é a paciência que nos conduz à bonança, depois de uma intensa tempestade? É evidente que sim! Só o poder da paciência para enfrentar grandes tempestades e vencê-las... Percebem a relevância do poder da paciência em nossas vidas? Eu percebo nitidamente que sem o poder da paciência, somos impotentes para conquistarmos o que quer que seja... Não existe vitória (material ou espiritual) sem a participação efetiva do poder da paciência: temos que ter a paciência indelével em todos os momentos de nossas vidas, pois, do contrário, estaremos fadados aos desencontros e à falência dos nossos objetivos e dos nossos sonhos...
Eu sei que é muito cansativo e agonizante conviver com as adversidades cotidianas, principalmente àqueles que se encontram sofrendo com grandes dores materiais ou espirituais... Mas imaginem ter que enfrentar tanto sofrimento sem o poder da paciência? Não seriam muito mais angustiantes os pesares vivenciais, que nós temos que enfrentar, sem o poder da paciência? Os suicidas tiveram a paciência necessária? É claro que não! Todos os suicidas são pretensiosamente impacientes... E a maioria se suicida por estar enfrentando problemas medíocres: a falta de paciência os faz crer que os seus problemas são insolúveis... Se tivessem tido a paciência de deixar baixar a poeira, enxergariam além da linha do horizonte – e não se suicidariam jamais... Mas as faltas de paciência os fizeram criminosos de si mesmos, e terão que responder pelos seus crimes contra a vida, perante a justiça de Deus...




FERNANDO PELLISOLI
Enviado por FERNANDO PELLISOLI em 23/09/2010


Comentários