CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Fernando Pellisoli
Sou o Poeta da Loucura da Pós-modernidade
Textos

17. REFORMAS AGRÁRIAS


As terras improdutivas do nosso Brasil são alvo daqueles que pretendem morar e trabalhar na agricultura... E o Estado Ecomunitário observa as possibilidades das desapropriações, não se esquecendo dos direitos adquiridos, fazendo vários tipos de reformas agrárias... Conforme os casos aplicar-se-ão modalidades diferenciadas de negociações...
Em se tratando de terras desativadas, que o proprietário tiver interesse em vendê-las, o Estado Ecomunitário comprará estas terras por preços razoáveis; tornando-as de reformas agrárias estatais – onde todos os poceiros serão assentados, passando a trabalhar para o Estado Ecomunitário...
Por outro lado, terras gigantes (como as terras da Igreja Católica), que perpassam os 50% das terras brasileiras; e que tiveram as suas apropriações, através dos donativos do povo brasileiro, não podem ficar impunes estas aberrações agrárias do Catolicismo: a Igreja que se diz representante de Deus e da espiritualidade dos homens; não pode continuar a gozar deste patrimônio, adquirido através da persuasão da fé cega... Eu penso que todas as terras da Igreja devam ser devolvidas ao povo brasileiro; pois é de direito estas devoluções... E é a ciência da Ecologia a nos dizer que o meio ambiente pertence ao povo brasileiro; e que lotes das terras católicas devem ser distribuídos aos seus verdadeiros donos: e nestas reformas agrárias, teremos um grande avanço na agricultura do Estado Ecomunitário... E é assim que vamos transformando...
A maioria das reformas agrárias ficará sob o domínio do Estado Ecomunitário, onde todos os assentados morarão e trabalharão para a agricultura estatal... É desta forma que o Sistema Ecomunitarista poderá fortalecer-se, com o domínio das terras improdutivas... Trabalhando com teto e agricultura a serviço das Ecomunidades, teremos um povo brasileiro bem abrigado das intempéries e muito bem alimentado... E sendo o povo brasileiro o seu poder político da nação, através da Democracia-Direta, aumentará, sobremaneira, o controle do equilíbrio ecológico e o respeito aos direitos humanos...
Não estou falando de alguns sonhos; mas de ações de enfrentamentos culturais, sociais e políticos, que se fazem necessários, neste final de ciclo capitalista, para que o Brasil, e posteriormente o mundo, se aproprie da humanização... Pois que se entenda do Sistema Ecomunitarista de sua extremada força espiritualista; a vir destruir, definitivamente, com as forças lucíferas do Sistema Capitalista materialista... Estamos a viver a era do espírito; e os capitalistas ateus estão fadados a desaparecer dentro do Ecomunitarismo...
O nosso povo brasileiro, pois, é quem vai fazer todas as reformas muito necessárias; para alcançarmos uma sociedade humanisticamente espiritualizada e rica em liberdade...
Só um povo muito rico como o nosso para estar fadado a encabeçar um sapiente Sistema de Coisas, que vem trazer à humanidade um convívio salutar da verdadeira política: a política solidária dos seres vivos com o meio ambiente...

FERNANDO PELLISOLI
Enviado por FERNANDO PELLISOLI em 03/04/2011


Comentários