CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Fernando Pellisoli
Sou o Poeta da Loucura da Pós-modernidade
Textos

SOBRE A RIQUEZA


Aparentemente, os maus ricos (quando ainda são belos) pensam serem pessoas privilegiadas pelo criador; mas podem ter a convicção, meus leitores, que não é assim que funciona a realidade... As encarnações sucessivas de espíritos que buscam as provações da riqueza são, na maioria dos casos, de espíritos inferiores e maus, procurando apenas o gozo dos prazeres materiais: a possibilidade de sucumbirem em suas provações é imensa, pois a tendência destes espíritos atrasados, ao conviver com o luxo da riqueza, é sempre se perpetuarem nos vícios materiais e nos pecados capitais... Os espíritos não retrogradam em suas evoluções espirituais; mas podem permanecer estacionados por longos tempos...
Se souberem observar as atitudes egocêntricas da elite brasileira, e do mundo inteiro, poderão conceber a idéia de que os ricos são impiedosos e abarrotados de vícios: são (quase todos) materialistas céticos, desejando apenas os pretensiosos prazeres materiais – para conseguirem os seus objetivos egoísticos, os ricos são capazes dos atos mais desleais e obscuros, passando por cima de quem estiver na frente... É uma incrível demonstração de inferioridade e uma legítima ignorância no que tange às leis imutáveis de Deus... E o ateísmo é uma freqüência nesta gente metida à besta, que não consegue perceber as infinitas sabedorias do nosso Deus onipotente em relação às suas criações divinas...
Esta necessidade que os ricos têm de exibicionismo, estimulando a inveja dos desafortunados, é puramente uma característica predominante da inferioridade dos espíritos que coabitam em seres humanos abestalhados... A vaidade, por possuírem uma beleza invejável, e o orgulho de serem os donos do mundo material, ainda que muito vagamente, pois um sopro do criador os elimina, é demonstrativo que evidencia quão o manto da riqueza pode ser negativo ao necessário progresso dos seres humanos e, evidente, ao necessário progresso dos espíritos... Mas se a riqueza é tão danosa, porque todos querem ficar ricos? Ou será que existem pessoas que estão satisfeitas com a miséria? Eu penso que os espíritos mais evoluídos, que enfrentam as provações da pobreza, não são seres humanos interessados em enricar, sabidamente conscientes das implicações negativas que a riqueza exerce sobre os homens...
Como as aparências enganam, é possível detectar a idiotice das elites no que tange ao conhecimento das leis imutáveis de Deus: Deus é bom; mas é justo! Os ricos, com as sua excentricidades, humilhando os pobres, como se não fossem filhos de Deus, têm, em seus destinos, uma severa expiação a passar – que pode começar nesta vida atual, e continuar em novas encarnações, sempre mais produtivas e espiritualizadas... Pois a riqueza, quando bem utilizada, pode ser uma excelente ferramenta para arar o terreno do Bem, espalhando o desenvolvimento cultural dos povos e praticando a caridade e o amor ao próximo... E é exatamente isto que os ricos éticos e dignos fazem com as suas fortunas, ao empreender os seus negócios em benevolências caritativas em centros urbanos com reais necessidades sociais...
Quantas pessoas idôneas que ficaram ricas, passando a ter uma vida desregrada, com todos os tipos de vícios, depois de algum tempo ao convívio da riqueza? Uma sensação poderosa toma conta dos enricados, transformando esta humildade da simplicidade num orgulho egoísta, que sempre os manipula ao caminho das mutilações aberrantes... E as desgraças ocorrem nestas metamorfoses materiais, podendo ser muito prejudiciais ao bem-estar social... A riqueza é, portanto, uma provação muito mais perigosa que a provação da pobreza, podendo por em risco uma encarnação inteira, uma vez que a sua ação lucífera pode destruir os alicerces de uma vida digna e humanamente espiritualizada...
Os ricos só pensam em satisfazer os seus débeis desejos insaciáveis, desconsiderando a possibilidade de que estão sendo observados por Deus e, que na hora de Deus, serão julgados pelos seus pecados capitais: não acreditar nesta possibilidade divina é incorrer no erro grotesco da tênue imbecilidade humana, e cair na prostração espiritual... A vida material é provisória, e a riqueza termina quando desencarnamos da matéria: e no mundo espiritual, o que vai poder fazer um materialista cético? Ou um avarento? É muito triste o sofrimento espiritual destes espíritos ainda materializados, apegados em suas fortunas, sem poder gozar dos seus prazeres materiais, sem tocá-los...
Eu penso que a riqueza devesse ser um trampolim para disseminar o Bem-Comum, através dos benefícios sociais que ela pode alcançar - desde que esteja em boas mãos... Mas, infelizmente, não tem sido assim; pois os milionários do nosso mundo só pensam em aumentar as suas fortunas – esquecendo de compartilhar os seus lucros com todos os seus irmãos espirituais em grandes dificuldades materiais: Deus sabe recompensar os ricos caridosos, pois a prática do Bem é o único meio viável ao progresso da humanidade, e um fim para apressar o progresso espiritual dos espíritos...







FERNANDO PELLISOLI
Enviado por FERNANDO PELLISOLI em 25/09/2010


Comentários