Fernando Pellisoli
Sou o Poeta da Loucura da Pós-modernidade
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos

O PENSAMENTO REALIZA


Muitas vezes, em momentos inoportunos, pensamos que a vida não caminha conforme os nossos propósitos, e ficamos à mercê da sorte quando os nossos caminhos se fecham... Tentar mudar as circunstâncias que nos aprisionam no caos absoluto é verídica asneira de principiantes, que agonizam nas tormentas imprecisas... Em qualquer lugar, as coisas parecem não dar certo em determinados momentos inconfiáveis e aberrantes... Se você está confinado entre os teus sonhos irrealizados e uma atroz realidade que não perdoa os teus pesares; haverá de pensar, depois de muito pestanejar e sofrer, que o que lhe restou foi o teu pensamento... Apesar de todas as perdas cruciais, sobrou-te o teu pensamento, não é mesmo? O pensamento continua analisando, sintetizando e elaborando a pétrea continuidade de nossos sonhos amarguentos...
Grandes transtornos da mente trazem, há seu tempo, estupendas revoluções cósmicas às nossas vidas, e somos obrigados, por tanto sofrer, a metamorfosear os nossos hábitos indevidos por hábitos mais salutares... E o pensamento é responsável pelo surgimento de um mundo novo em nossas existências caóticas, tanto que me atrevo a dizer que somos o que pensamos: é possível que seja demorado o processo de comprovar à sociedade humana o que na verdade somos; mas a força do nosso pensamento, na hora certa, abrirá os caminhos que se fecharam, sempre perpassando as ideologias mafiosas do poder obsoleto... Nunca se esqueça que o pensamento é criativo e realiza as fundamentalizações da existência... A idéia fixa de um pensamento haverá de torná-lo realidade, ainda que uma multidão de pensamentos destrutivos tente ignorá-la... Talvez eu ainda não tenha conseguido me expressar com perfeição para fazê-lo entender uma coisa óbvia: se eu penso em ser um escritor; não o serei se não escrever... Mas se eu escrever constantemente, com persistência, fatalmente eu serei um escritor – ainda que depois de morto, se for da minha sina... Agora, se eu serei um grande escritor depende do meu pensamento: se for intenso, vibrante e ingente; então eu serei um grande escritor... Como diriam os intelectuais: grandes homens são grandes pensamentos; pequenos homens são pequenos pensamentos... E é exatamente assim que as coisas se manifestam nos trâmites da existência... Os grandes homens da nossa humanidade o foram; em detrimento de intensos sofrimentos que os acometeram... A arte puríssima e sagrada é primazia dos grandes artistas enlouquecidos pelos cotidianos ferozes, com algozes nas veias sangüíneas familiares... O sofrimento é uma fúria criativa que ativa o pensamento à produção desenfreada...
Quando estamos a sofrer muito, com nossas ingentes privações cotidianas (debruçados no tédio), não temos outro remédio a não ser pensar e pensar e pensar, até enlouquecer e descobrir que o planeta Terra é um hospício de louquinhos, de loucos e grandes loucos como eu: a ingente loucura e a genialidade andam de mãos dadas... Quando me obrigo a pensar, sem alternativa, o meu pensamento artístico torna-se o meu lazer, destituindo-me do meu viver, ficando à mercê da arte tão-somente... E a sede de criar é tamanha me fazendo esquecer até das minhas necessidades básicas e elementares... Mas se o meu pensamento realiza então eu fico satisfeito e plenamente realizado no espírito, porque a minha arte se projeta ao mundo: e sendo revolucionária, há de proporcionar avanços ao progresso da nossa humanidade ainda tão atrasada em seus anseios...
Se você deseja ser alguma coisa especial na vida, esteja onde estiver, pense que é possível administrar o teu sofrimento, conduzindo o teu pensamento aos teus objetivos ainda não realizados: o teu pensamento te faz ser o que você ainda não é desde que esteja manobrando, com persistência, o teu alvo a ser atingido na mosca – o nosso pensamento precisa estar sempre voltado às nossas idealizações, e o tempo se encarrega de fazer o inevitável... Mas é preciso colocar em prática o nosso pensamento: a prática de qualquer pensamento chama-se trabalho – sem trabalho árduo não há superação dos empecilhos que nos encalham e nos puxam para baixo... Sem a persistência no trabalho jamais alcançaremos os nossos objetivos existenciais, porque é trabalhando que vamos aprimorando as nossas aptidões vocacionais: querem que as coisas desçam dos céus?
O pensamento sempre realiza quando ele é ativado na praticidade do movimento das coisas; pois mantê-lo aprisionado no âmago do nosso aparelho mental é saborear o terror das chuvas e trovoadas indeléveis... Não vem nem um ventinho para nos refrescar os miolos férvidos... Quero que você consiga se sentir gente neste capitalismo materialista selvagem, onde os homens só pensam em multiplicar os cifrões; independente de elevar os seus espíritos empedernidos pelo cupidez... Nada os fará perceber a relevância dos valores espirituais, tendo que reencarnar muitas vezes ainda nesta Terra nefasta... Mas você que pensa na evolução da nossa humanidade, e trabalha em prol do progresso da sociedade humana, tem um pensamento criativo que realiza a vontade de Deus: e isto basta!








FERNANDO PELLISOLI
Enviado por FERNANDO PELLISOLI em 24/09/2010


Comentários