CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Fernando Pellisoli
Sou o Poeta da Loucura da Pós-modernidade
Textos

CONFLITO DA SUXUALIDADE


Como base de todo o enredo da sexualidade reprimida e mal resolvida dos seres humanos, temos a psicanálise freudiana compatibilizando as nossas reais expectativas de uma vida plena em êxtase de felicidade.
Segundo Sigmund Freud, o pai da psicanálise, todas as neuroses dos seres humanos, ou doentes mentais, são provenientes da repressão sexual iniciada no início da infância. Com três, quatro ou cinco anos de idade, a criança já está ativamente voltada ao prazer sexual: chupar o dedo é uma manifestação da libido, acusando uma sexualidade se manifestando deliberadamente e profundamente natural em qualquer criança. Mas os pais, desinformados desta manifestação espontânea e inerente na infância, são induzidos pelos preconceitos maliciosos, reprimindo todos os movimentos gestuais, e sexuais, das crianças puras e inocentes... Para Freud, todos os seres humanos enquanto crianças são homossexuais. E são justamente os conflitos gerados pela repressão sexual pelos pais, que irão, mais tarde, influenciar nas tendências heterossexuais e homossexuais dos indivíduos.
Eu penso que o conflito da sexualidade é o responsável por todos os bloqueios psicossomáticos do aparelho mental dos indivíduos, pois todos os fracassos e todas as vitórias obtidas por um indivíduo estão proporcionalmente equiparados com os graus de repressão sexual acontecida na infância. Apesar de o conflito sexual ter sido gerado na infância, é evidente que os preconceitos sexuais da vida adulta influenciam, sobremaneira, a formação estrutural do aparelho mental do indivíduo. As deformações dos preconceitos sexuais formam as características da personalidade dos doentes mentais, ou neuróticos, viabilizando todos os mais variados tipos de distúrbios emocionais detectados pela psicanálise. O sexo é, portanto, o ponto de partida, por ter sido reprimido na infância pelos pais, de todas as neuroses humanas. E penso que uma vez resolvido os desejos sexuais reprimidos, o indivíduo está bem próximo de encontrar a cura de seus males complexados...
Sou um modesto artista pensador, mas ainda assim preciso dizer que o pensamento psicanalítico freudiano é, indubitavelmente, absoluto e condizente com a realidade psíquica dos neuróticos, sendo o conflito da repressão sexual infantil o ponto de partida para todas as doenças de fundo psicológico. É óbvio, portanto, que quanto mais resolvido sexualmente for o indivíduo; menor será a sua chance de desenvolver distúrbios psicológicos. É evidente que mais tarde, na vida adulta, o indivíduo se depara com outras adversidades emocionais, que irão, também, concorrer com o conflito sexual e gerar as patologias do aparelho mental que já se encontra fragilizado sexualmente...
Parece até engraçado ter que admitir que o sexo, sendo tão prazeroso, seja o desencadeador de todas as neuroses do ser humano. A sexualidade dos animais inferiores é absolutamente natural, sendo que os adultos não reprimem os seus filhotes por estarem roçando os órgãos genitais... A maldade não está no sexo; mas está embutida no preconceito da sexualidade humana: e o catolicismo foi o grande causador da repressão sexual; mas tem criado os grandes neuróticos da pedofilia clerical...




FERNANDO PELLISOLI
Enviado por FERNANDO PELLISOLI em 23/09/2010


Comentários